Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Blog Centro-oeste / Luta no Lixão da Estrutural busca garantir inclusão de 2 mil catadores e catadoras

Luta no Lixão da Estrutural busca garantir inclusão de 2 mil catadores e catadoras

por Setor de Comunicação MNCR publicado 13/01/2017 17h02, última modificação 13/01/2017 17h02
Manifestação tomou as ruas de Brasília e foi recebida por Governador

Catadores e Catadoras ligados ao MNCR marcharam hoje, dia 13/01, desde às 6 horas manhã do lixão localizado cidade Estrutural em Brasília até o Palácio Buriti, sede do Governo do Distrito Federal, contra o fechamento da lixão sem a inclusão social dos mais de 2 mil catadores que sobrevivem da coleta no local. Também participaram cooperativas e membros da comunidade da Estrutural.

O Governo do DF irá inaugurar o Aterro Sanitário de Samambaia no próximo dia 17 e que o local só receberá rejeito. No entanto, membro do MNCR contestam as declarações, pois o programa de coleta seletiva não foi implantado efetivamente e grande parte dos resíduos aterrados ainda não recicláveis.

Após a marcha, todos os catadores foram recebidos pelo Governador Rodrigo Rollemberg e puderam apresentar diretamente sua reivindicações. Entre elas a proposta de transformar o Lixão da Estrutural em uma área de transbordo, onde os catadores possam fazer a triagem dos resíduos antes de serem enviados para o aterramento.

Os catadores reclamaram da ineficiência da equipe técnica da SLU (Serviço de Limpeza Urbana do DF) que não tem implantado o sistema de coleta seletiva de maneira correta.

Os catadores ouviram do Governador que a licitação para construção dos galpões de triagem já esta em andamento e que o lixão só será fechado após a construção dos centros de triagem, no entanto a categoria alega que o cronograma esta atrasado e nada prático foi feito. Outra reclamação dos catadores é relacionado a bolsa de R$ 300,00 oferecida pelo Governo para cerca de 900 catadores do lixão. O número de bolsas concedidas é insuficiente, pois mais de 2 mil trabalhadores atuam no lixão. A promessa é que em fevereiro mais 1.200 catadores recebam o auxilio.

 

 


Navegação