Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Lutar, criar, Reciclagem Popular!
Ferramentas Pessoais
Acessar
This is SunRain Plone Theme
Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Blog Centro-oeste / A Capital do país descarta as Políticas Nacional e Distrital de Resíduos Sólidos

A Capital do país descarta as Políticas Nacional e Distrital de Resíduos Sólidos

por Setor de Comunicação MNCR publicado 11/01/2017 11h30, última modificação 11/01/2017 15h16
GDF quer fechar o Lixão da Estrutural sem garantir condições de trabalho para os 2 mil trabalhadores e trabalhadoras

Citados 12 vezes na PNRS* e 11 vezes na PDRS*, NÓS CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS, CONTINUAMOS INVISÍVEIS diante do cumprimento das legislações vigentes e diante do Governo do Distrito Federal - GDF.

Foi oficialmente anunciada pelo GDF a inauguração do Aterro Sanitário de Samambaia no dia 17/01/2017, mas não foram escutados os mais de 2.000 catadores que atualmente trabalham no Lixão da Estrutural.

Em campanha partidária em 2014, o atual governador Rodrigo Rollemberg, anunciou o seu apoio e o que iria realizar durante sua gestão para a melhoria das condições de vida e de trabalho dos catadores de materiais recicláveis do DF, como pode ser visto no vídeo 1.

Passaram-se dois anos e o resultado que estamos obtendo é a abertura de um Aterro e o anúncio, por parte do Serviço de Limpeza Urbana de Brasília – SLU, de que os materiais que hoje servem como fonte de trabalho e renda para milhares de catadores serão destinados ao Aterro Sanitário de Samambaia.

Fizemos uma proposta ao GDF de transformar o Lixão da Estrutural em uma área temporária de transbordo até que os galpões de triagem ficassem prontos para que nós, catadores, não perdêssemos nosso trabalho e nossa renda. Obtivemos uma negativa do GDF com fundamentações técnicas muito frágeis. Foi alegado que era inviável o trabalho de máquinas para a retirada do rejeito por conta da instabilidade do solo. Situação essa desmentida pelo vídeo 2.

O contexto atual é de muita preocupação para nós, milhares de catadores do DF, pois haverá a inauguração do Aterro de Samambaia, não existem os galpões de triagem construídos e operando, não foi implantada coleta seletiva como mostra o vídeo 3 e a desculpa do governo é que irá fazer tudo isso num futuro que está prestes a terminar, pois há somente mais 2 anos de gestão Rollemberg.

Como podem ver a companheira Janicleides desesperada no vídeo 4 porque a renda dos catadores já caiu demais no DF por falta de uma gestão efetiva de resíduos sólidos por parte do SLU; serão direcionadas as carretas que saem das Usinas diretamente para o Aterro de Samambaia e nelas há grande percentual de materiais que devem ser reciclados de acordo com as legislações vigentes e nós catadores estamos desesperados.

Por fim, fizeram uma proposta de dar R$ 300,00 (trezentos reais) para cada família de catadores por 6 meses. R$ 300,00 por família é o que para uma família de catador? Imagina a companheira Janicleides com 7 filhos para criar e ganhando míseros R$ 300,00 por 6 meses para sustentar com dignidade sua família. Isso é humano? Será que quantas pessoas dentro do GDF conseguiriam sustentar suas famílias com R$ 300,00 por 6 meses?

#300reaisnaoeinclusao

 

registrado em: ,

Navegação